Retrospectiva Ciclovia da Pampulha


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Manifesto Neste Sábado Dia 29 de junho de 2013



Amigos, é com muita tristeza venho anunciar a matéria que segue a pedido das centenas de pessoas que endossaram esta causa:



Ante a falta de sensibilidade da Prefeitura de Belo Horizonte e autoridades responsáveis pela obra da CICLOVIA em 7 km dos 18,3 km do total da Av. Otacílio Negrão de Lima, avenida esta que circula a Lagoa da Pampulha, começando no PIC Pampulha e terminará no Clube Belo Horizonte.

Obras que tem chamado a atenção negativa dos belo-horizontinos em geral e mostrado na prática por quem usa aquele espaço que fazendo esta ciclovia com separador físico com os blocos de concreto vai desencadear uma série de transtornos e mudanças na rotina existe naquele local a décadas.

Em caráter pacífico, estaremos reivindicando nossos direitos no próximo sábado dia 29 de junho de 2013 às 08:00 horas na arena frente a Igreja da Pampulha, onde o grupo sairá às 09:00 horas pelos bairros daquela região para chamar atenção das autoridades sobre os riscos já apontados por várias pessoas caso seja colocado os BLOCOS DE CONCRETO (gelo baiano) no meio da pista de rolamento separando os veículos dos ciclistas nessa ciclovia de sentido mão e contra-mão como já esta preparada a pista de rolamento para receber estes blocos.

Deixar claro, que não nos calaremos enquanto não tivermos uma posição oficial do Prefeito de Belo Horizonte o Sr. Marcio Lacerda de NÃO colocação desses Blocos de concreto, fato este que tem deixado centenas de pessoas incomodadas pela falta de respeito dos riscos de acidentes naquele local, uma vez já disponibilizado a pista para as pessoas trafegarem em sentidos opostos mesmo com as obras inacabada.



Aproveito para informar e lamentar junto esta carta, que hoje tivemos um acidente depois do Museu de Artes envolvendo duas pessoas de bike que bateu de frente uma com a outra e a garota teve lesões que ainda não sabemos qual gravidade, mas removida imediatamente para o Hospital Odilon Behrens. 
Deixo agora uma pergunta: QUEM VAI RESPONSABILIZAR POR ESTE ACIDENTE?

Hoje deu pra ver como esta impossível pedalar na lagoa aos domingos e lamentar que dias piores virão caso seja instalados os tais concretos de cimento na pista. Deixo aqui meu desabafo, pois uso este espaço a muitos anos e nunca tinha visto tanta indignação das pessoas que passavam pela lagoa. O que seria solução, virou um enorme transtorno para aqueles que achavam que estariam sendo beneficiadas com tudo isso.

Obrigado a todos! Juntos somos fortes!!!


sexta-feira, 21 de junho de 2013

Rogerio Pacheco - Ciclofaixa na Lagoa da Pampulha


Esclarecimento e Sugestões Sobre às Obras da Ciclovia na Lagoa da Pampulha.


FIQUE POR DENTRO: Qual a diferença entre ciclofaixa e ciclovia?

A ciclofaixa é um espaço delimitado com faixas no chão por setas em sentido único ou não e sinalização com placas de advertência adequadas de acordo com a via.

A ciclovia é sinalizada com faixas e separada por obstáculo físico para os veículos ou até entre os próprios ciclistas, podendo ser de mão dupla ou em um só sentido. Outro fator importante que elas sejam no mesmo nível da pista de rolamento ou com desnível muito pequeno e não sobre uma calçada.
O ciclismo na Lagoa da Pampulha registra uma história mesmo antes dos monumentos existentes nela, inclusive do Estádio do Mineirão. É um espaço único e muito usado por ciclistas profissionais, desportistas, trabalhadores, estudantes e turistas e para lazer. A maioria dos usuários pedala em sentido horário, por não ter cruzamentos e pela própria posição geográfica.

Pensando nesta diversidade, defendemos a ciclofaixa como a melhor opção para quem usa bicicleta na orla, pois dessa forma veículos e bicicletas podem compartilhar o espaço com menor risco de acidentes. Os benefícios da ciclofaixa são os de que cada um organiza seu próprio espaço, é mais barata e tem maior flexibilidade em casos de mudanças no transito necessárias aos eventos que acontecem na Avenida Otacílio Negrão de Lima.
Ao colocar blocos de concreto (conhecidos por “gelo baiano”) no meio da pista, como está sendo proposto pelos engenheiros da Prefeitura Municipal e BHTrans para construção da ciclovia que, em sentido horário, começaria no PIC Pampulha (antes do Museu de Arte) e terminaria no Clube Belo Horizonte (após a Igrejinha), será inviabilizado o trânsito da maioria dos ciclistas que circulam na orla no sentido horário. Os ciclistas individuais e os grupos (pelotões coletivos) ficarão impossibilitados de passar em um lugar tão estreito com mão e contra-mão, impedindo ainda as ultrapassagens de outros ciclistas. Do contrário, eles ficarão expostos ao fluxo mais veloz de veículos e qualquer deslize na pista, seja dentro ou fora da ciclovia, os ciclistas e desportistas correm risco de graves acidentes provocados pelo choque das bicicletas com os blocos de concreto.

Antes mesmo do início das obras, foi apontado o risco de acidentes para quem circula de bicicleta na lagoa, aos órgãos responsáveis da Prefeitura. Porém tais colaborações, mesmo vindas de usuários regulares do espaço, não foram consideradas e a via já foi demarcada com as faixas para receberem os tais blocos. Depois de sua instalação, os problemas serão inevitáveis até para os veículos maiores, como motocicletas e automóveis, além dos ônibus e caminhões que possuem permissão de tráfego.
As obras, embora inacabadas, já expõem os ciclistas a risco de colisão frontal com veículos e com outros ciclistas, pois as placas de mão e contra-mão do trânsito de bicicletas já foram instaladas, ao longo do trajeto projetado para a ciclovia.

Na Savassi, as ciclovias têm se mostrado uma solução adequada, porém é importante lembrar que o número de ciclistas na região central é muito menor do que a quantidade dos ciclistas na Pampulha.
Diante disso, acreditamos que a ciclofaixa em sentido único por toda a extensão da orla da Lagoa da Pampulha é a melhor solução. Além dos benefícios já citados, a ciclofaixa permitiria que aos domingos fossem colocados cones sobre a faixa de delimitação e nos demais dias da semana os ciclistas teriam um espaço delimitado, mas sem impedir um pelotão ou um ciclista individual de ultrapassar outros ciclistas como sempre aconteceu, com mais segurança para todos compartilharem esse espaço tão frequentado por usuários de bicicleta.

SUGESTÃO: ciclofaixa em sentido único por toda orla da Lagoa da Pampulha , aos domingos colocar cones sobre a faixa contínua por toda a orla e os demais dias da semana os ciclistas terem um espaço delimitado, mas, sem impedir um pelotão ou um ciclista ultrapassar a outra como sempre aconteceu, acontece e mais segurança para todos compartilharem este espaço tão frequentado por usuários de bicicleta.
  IGNORAR O PASSADO É ENTERRAR O FUTURO.

7º Pedalando pela Vida


CONTO COM O APOIO DE TODOS PARA MAIS ESTA AÇÃO DE SUMA "IMPORTÂNCIA" PARA SOCIEDADE...
OBRIGADO!

 Rogerio Pacheco 


Fotos Giro 30


sexta-feira, 7 de junho de 2013


Ciclofaixa opiniões:

Sempre bom ouvir vocês.
Bom, como já disse sobre forma que a Prefeitura esta fazendo de colocar os tais blocos de concreto e mão dupla para ciclistas em sentido contrário para veículos e ciclistas não tenho dúvidas de que vai dar muitas ocorrências e unidades de ambulância do SAMU e CORPO DE BOMBEIROS podem ficar de plantão onde esta sendo colocado as CICLOVIAS no meio da rua.
Por isso estamos defendendo a CICLOFAIXA em SENTIDO ÚNICO, pois teremos um espaço determinado, mesmo que os veículos não respeitem 100%, mas um grande passo foi dado. Vale lembrar que nunca teve nenhuma sinalização informando sobre ciclistas na orla. Na verdade somos insistentes e enfrentamos dificuldades de todos os lados com a imprudência dos fatos, há começar pela própria prefeitura que nunca fez esclarecer que ali é uma área de lazer e pessoas andam de bicicleta a décadas. Contudo, a CICLOFAIXA vai organizar melhor cada um na sua direção.

Como foi dito pelo Vice Presidente da FMC Ricardo Alcici na reunião nesta quarta feira dia 05 de maio: “TEMOS MANIA DE COMPLICAR O QUE É SIMPLES”.

MUDANÇAS IMPORTANTES:
CICLOFAIXA EM SENTIDO ÚNICO EM TODA ORLA.
AJUSTE NAS FAIXAS JÁ PINTADAS NO LOCAL.
CONE AR AOS DOMINGOS E FERIADOS POR TODA ORLA.
QUEBRA MOLAS DEVEM SER RECOLOCADOS.
SINALIZAÇÃO NO CHÃO EM DESTAQUE E SETAS DIRECIONAL DE ESPAÇOS EM ESPAÇOS.
CONSCIENTIZAÇÃO COM CARTAZ E PROPAGANDA NO LOCAL.
PLACAS DE ADVERTÊNCIA.
APOIO DA PREFEITURA COM A GUARDA MUNICIPAL E POLÍCIA MILITAR.
DE ÚLTIMO CASO, SUGERIR COLOCAR UMA FAIXA BRANCA SONORIZADORA EXISTENTE NA LINHA VERDE, MAS MUITO EFICIENTE PARA VEÍCULOS E NÃO INTERFERE AS BICICLETAS PASSAREM POR CIMA EM ULTRAPASSAGENS DOS PRÓPRIOS CICLISTAS.
COMPARTILHAR E INFORMAR AS ACADEMIAS SOBRE OS RISCOS DE CAMINHAREM OU PRATICAM CORRIDA, TAMBÉM LEVAR O CONHECIMENTO DAS ASSESSORIAS ESPORTIVAS.
IMPORTANTE O CONHECIMENTO DOS FATOS TAMBÉM PARA A FEDERAÇÃO MINEIRA DE ATLETISMO.

Quem tiver mais sugestões são sempre bem vindas

Carta resposta informando (para um membro) do GT Pedala BH sobre tudo já feito para viabilizar um melhor diálogo sobre as idéias já discutidas e, em discussão na minha página do Facebook.


Boa noite,
Bom, vê-se que não tem diálogo com vocês e triste é saber que caminhamos na contra mão, o que deveria ser o contrário! Diante todas as idéias que defendo é contrárias às suas... Só tenho dizer que colocando os CONES agregados à ciclofaixa aos domingos e feriados como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba  já esta fazendo, aqui não seria diferente e multidões compartilhariam a Lagoa da Pampulha num só propósito. Dizer que a tal da ciclocalçada que termina no PIC Pampulha e recomeça no Clube Belo Horizonte sendo revitalizada como esta no projeto do GT não vai caber de tantas pessoas pedalando guiadas pela massa vinda do corredor em mesmo sentido que venho tentando explicar e se fará necessário ampliar caso não aceite a idéia sugerida de ciclofaixa para toda a orla.



Contradizer você(s) quando disse que não participei das Audiências Públicas, pois das três que participei na Câmara, posicionei sobre a ciclofaixa da Lagoa da Pampulha e a BHtrans já tinha sua opinião formada, ignorando minha posição e você(s) estava lá.

Então, chega de bater boca! Somente quem usa este espaço sabe o quanto importante é, e lembrar também que a população usuária que usa a lagoa pra pedalar entende-se o que estamos defendendo, o contrário para a MINORIA que defende uma tese que é muito válida em toda cidade, mas, o ciclismo e esporte da Lagoa da Pampulha não pode acabar por idéias isoladas de quem não vive as tantas diversidades existentes por quem anda de bicicleta na lagoa e respeitar uma história sobre o uso de quem um dia usou e usa este espaço e claro, o enorme problema já existente devido o fluxo de veículos naquele local.

.

Convido vocês pra pedalarem conosco nas noites de segundas as quintas feira na lagoa, aos sábados pela manhã e domingo durante todo dia. Assim, quem sabe ao invés de criticar vocês possam somar as tantas outras pessoa e, juntos fazemos mais ações e campanhas de cidadania importantes para sociedade como já aconteceu na Pampulha. Creio que você(s) se lembra do PEDALANDO DEZ DIAS PELA VIDA em 2010, O PEDALANDO 24 HORAS PELA VIDA em 2012? Trabalho de prevenção às drogas, ou será que vocês ignoram? Minha sugestão é agregar e quero que todos fiquem sabendo por que resolvi criar este projeto que neste momento esta me desgastando muito devido uma minoria que tem levantado idéias medíocres de acharem que este projeto é pra beneficiar uma classe de ciclistas que usa a lagoa...

Então, vou te contar: um dia depois de treinar na estrada passei na lagoa e em menos de 300 metros vi duas pessoas sendo espremidas por carros, pessoas sem habilidade nenhuma sobre suas bikes e acabaram caindo. Então veio a idéia inicial de mostrar que ali precisava de sinalização visual com placas de advertência, alguma melhoria para quem usa este espaço. Agora te convido a ler este texto que segue abaixo para vocês conhecerem o verdadeiro sentido do porque sugeri ciclofaixa e não ciclovia mesmo sabendo que já conhecem, agora adaptado. Vejam ai:



CARTA INICIAL ONDE CONTO DETALHES SOBRE AS DISCURÇÕES SOBRE A POLÊMICA CICLOVIA DA LAGOA DA PAMPULHA.

Começo dizendo que sou totalmente a favor da mobilidade, até porque há mais de 20 anos vou pro trabalho de bike, consequência disso, hoje sou atleta a dezoito anos.



Mas, se tratando da Lagoa da Pampulha, o método que a BHtrans e o pessoal envolvidos em prol de colocar os tais blocos de concreto/tachões/gelo baiano/prisma, etc, e estão equivocados, pois seguro não é! Prova disso são os acidentes que já aconteceu lá onde veículos estão voando sobre calçadas e caindo dentro da lagoa, outros casos tristes e lamentar, quando um de nossos amigos se encontra em cadeira de rodas, outros com cortes que levou mais de cem pontos no braço e foram atirados dentro da lagoa por veículos desgovernados, dentre outros tantos acidentes. Então, uma pergunta: os tais tachões teriam protegidos os ciclistas?



Também tem dito ai, que as pessoas teriam dificuldades de pedalar da barragem até o Museu de Artes. Bom, qual ciclovia liga hoje à lagoa? Há que fizeram na Flaming? Melhor nem comentar na vergonha e falta de respeito naquilo que dizem ser ciclovia! Outro fato: onde estão as ciclovias da Av.Pedro I e Av. Antônio Carlos que constavam como prioridades nos primeiros informativos antes mesmos das obras de melhorias nestas avenidas? Levanto estas questões para entenderem que a incoerência dos fatos, levam a adentrarmos nas questões burocráticas do sistema encontradas... e que não estão nem um pouco preocupados com a opinião pública. Sei que nos mostrarão mais uma vez o mapa das rotas do PEDALA BH, muito bom. Levanto estes questionamentos por que estamos lidando com fatos diretos sobre as tantas pessoas ordenadas a um conceito de direção de décadas que pedalou e pedala na lagoa que não podem ser prejudicadas ou dizer que estamos impedindo outras de ir e vir.



Por que defendo a ciclofaixa?! Pra quem realmente usa aquele espaço e não são poucas as pessoas, é ver as tantas pessoas beneficiadas, bem como, os pelotões aos sábados, giros noturnos com os GIROS 30/20 e 35km/h. Pessoas que pedalavam sozinhas, correndo riscos e sem nenhuma informação, hoje pedalam com os grupos que é composto por mais de 130 pessoas em uma só momento. Lembrar também, que muitas destas pessoas mal rodavam no GIRO 20, hoje participam do GIRO 30 e 35km/h e alguns hoje são competidores. Com tudo, a grande maioria das pessoas que vem pra lagoa pedalar  a passeio com sua bike simples sem mais, se tornam adeptos impulsionados pela maioria que estão em busca de superação pessoal,  e pela necessidade de alguma atividade física que um dia também tirou sua bicicleta da garagem e hoje expõem de equipamentos sofisticados, mas todos em um só propósito: ter melhor qualidade de vida. Destaque para as tantas ações de campanhas voltadas à Saúde Pública feitas para própria Prefeitura sendo que o último aconteceu em março deste ano com o “IV PEDALANDO CONTRA DENGUE”, mobilizando mais de 1.000 pessoas diretamente. Por Isso dizemos que as pessoas que querem os tais TACHÕES... talvez nunca pedalou na orla da lagoa, tão pouco estão preocupados com tudo que acabei de relatar, e não fazem idéia de como tudo isso vai afetar na vida dessas pessoas e muitas outras que pedalam, caminham, praticam atletismo e de alguma forma usam este espaço.



Antes de criticar, ou mesmo achar que estamos querendo tomar a pista da lagoa somente pra ciclistas de pelotão? É fazer uma pesquisa e avaliar como sempre aconteceu e acontece?! Pelotão na Pampulha é mais antigo que os monumentos existentes nela, inclusive o Estádio do Mineirão.



Quanto aos acidentes ocorridos em treinos nos pelotões da lagoa e citados por algumas comentários irônicos na net, vale lembrar que nem os profissionais no Tour de France escapam das quedas.



Ficamos sabendo do acidente grave que aconteceu na descida vinda do bairro Belvedere sentido bairro SION, com integrantes do grupo que sai da Pça. da Liberdade. Entendam, estamos todos no mesmo barco, pra alguns é fácil criticar!!! Veja esta frase que cai bem sobre tais comentários já ditos por aí: “o problema esta sempre na casa do vizinho”.

   

Quanto ao projeto da CICLOFAIXA que sugeri e disponibilizei à Bhtrans a mais de ano, creio dar muito certo com campanhas educativas, panfletagem, propaganda e CONES sendo colocados em finais de semana por um período para conscientizar quem passar naquele local sobre a idéia do espaço determinado para ciclistas com faixas, sinalização no chão e placas de advertência. Destaque para São Paulo e Rio que criaram meios e iniciativas de viabilizar momentos de lazer e mobilidade em dias úteis e principalmente em finais de semana para quem curte pedalar por lazer e quem quer ir para o trabalho.



Sei que não podemos resolver o problema do mundo, mas se uma vida for salva, valeu uma vida inteira.

Obrigado a todos e declaro que enterro aqui qualquer questionamento daqueles que não querem entender o dito.



As imagens que seguem falam por se só. 

Rogerio Pacheco - Ultraciclista




Disponibilizando alguns dos comentários disponível em minha página.

Renato Olimpio Vinicius, gosto do seu entusiasmo quando defende sua posição e opinião sobre o transito de bicicletas em via publica porem lhe falta conhecimento da modalidade Ciclismo e não devemos defender uma posição com tanto entusiasmo sem conhecimento pleno do assunto, sei pelo seu perfil no facebook que concorda comigo, entendi também que você não e atleta e que partilha as ideias de um grupo chamado GT que busca melhorias para vida dos ciclistas em BH, porem em relação á lagoa da Pampulha você esta equivocado, como disse antes lhe falta conhecimento de causa. A lagoa da Pampulha e um lugar especial para pratica do ciclismo de alto rendimento porque no sentido horário não existi cruzamentos ou vias de acesso que atrapalhe o ciclista, podendo assim desenvolver altas velocidades em grupos ou sozinho, melhorando o seu rendimento. Sou de São Paulo, moro em BH á seis anos e treino todos os dias na lagoa da Pampulha, tenho a oportunidade de treinar com atletas que são: Campeão Brasileiro de Pista, Bicampeão Brasileiro de Ciclismo de longa distancia e Bicampeão Brasileiro de MTB, com futuro olímpico do ciclismo no Brasil “os garotos do grupo do Edgar” (Edgar, um dos finalistas do Prêmio Bom Exemplo,http://m.g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/04/conheca-historia-de-edgar-um-dos-finalistas-do-premio-bom-exemplo.html), o grupo Terra da Sobriedade (recupera ex-dependente químico com à pratica do ciclismo), Triatletas entre outros atletas que se dedicam a este esporte para competir ou buscar uma melhor qualidade de vida. 
Não temos nenhuma ajuda ou incentivo por parte das instituições governamentais no Brasil para pratica de qualquer modalidade esportiva, portanto, peço a você Vinicius e todas as pessoas envolvidas direta ou indiretamente, praticantes ou não do Ciclismo, que defendam este espaço raro e único em BH, respeitando os termos e configurações técnicas necessárias para pratica do ciclismo de alto rendimento, porque será muito triste que se inviabilize na Lagoa da Pampulha á pratica deste esporte com a colocação de tachões e mão dupla. E necessário apenas à sinalização com faixas e placas de orientação para os motoristas. 


Everton Joe Ciclofaixa na orla da Pampulha só em mão única e sem blocos de concreto. Colocar blocos de concreto e confinar dois ciclistas em mãos opostas a quase se chocarem num espaço inferior a 2 metros e largura é uma insanidade. Essa idéia nem deveria ter sido proposta. Em menos de 1 mês após instalados, os blocos serão removidos pela própria prefeitura, porque o número de acidentes graves que não existe vai disparar. Discordar dessa minha conclusão é pagar pra ver acidentes acontecendo. Vamos baixar os EGOS, principalmente os EGOS daqueles que nem pedalam aqui. Eles não passaram pelo susto de pedalar a 25 km/h e subitamente se deparar de frente com outro ciclista a 25 km/h na contra mão. É o mesmo que bater a 50 km/h num carro parado ou numa grade. Sérias lesões e fraturas podem ocorrer. Ainda vão rolar muitos processos em cima da prefeitura e BHTrans pela insanidade desse projeto absurdo!

Leandro Honório Vinicius, eu nao estava tendo tempo para participar mais ativamente das discussões como agora, mas antes de tudo vou deixar alguns esclarecimentos: Sou praticante de treinos na lagoa, embora esteja afastado a dois meses devo voltar essa semana, assim como também sou ativista da bicicleta ja tendo participado de várias bicicletadas(massa crítica). Apoio ambos, porem vejo que essa proposta na lagoa da Pampulha é um equivoco fundamentado em uma ingenuidade muito grande. O simples fato de existir na cabeça das pessoas a ideia de que existe uma ciclovia na lagoa (que de fato nao existe) provoca nos motoristas uma agressividade que é vivenciada por todos que treinam em pelotão na lagoa. Chega ao ponto de pessoas dentro dos onibus gritarem mandando a gente ir pra ciclovia (que so existe no imaginário popular). Agora imagine essa realidade com a pista no mínimo dois metros menor. Você crê mesmo, de verdade, que os motoristas diminuirão a velocidade e serão menos agressivos com os pelotões? Francamente, eu acho muita ingenuidade isso. Agora, com uma ciclofaixa de mao unica, preserva-se o ciclista de lazer o os treinantes, sem a armadilha de uma ciclovia de mao dupla. Outra coisa: Nao da pra comparar a Tereza e a Andradas com a orla da lagoa devido a grande diferença fisica e de finalidade dos locais. duvido que alguem faça um bom treino nessas avenidas se nao podem se concentrar, o que ocorre em meio a transito pesado observado nesses locais. Vinicius, eu conheçomuitos ciclistas, e ninguem deixa de completar uma volta por falta de segurança, quem nao completa é por preguiça mesmo. A proposta de ciclofaixa de mão unica preserva os que tem no cicliismo na orla seu lazer, preserva os pelotões e também preserva quem se desloca pelo local. Sugiro que você se junte a um pelotão duas vezes numa semana para constatar o que eu digo aqui. Colocar os tachoes e fazer ciclovia de mao dupla é inviável na lagoa. Tomara que nao se efetive, mas se efetivar, os resultados serão desastrosos. é muito simples: A orla da lagoa deve ter um projeto específico que atenda às demandas do local, que são bem diferentes dos outros locais, onde essa proposta seria realmente efetiva e benéfica. Quer um exemplo? Avenida Tancredo Neves, tem tb a Joao Paulo II, A Fleming (fizeram la uma armadilha que chamam de ciclovia) Avenida João Pinheiro no Centro e varias outras em ruas do centro.

Anderson Fernando Importante analisarmos que estamos em um país e uma cidade onde o ciclismo nunca foi e nem é algo difundido. Isso quer dizer que somos politicamente "fracos" existem alguns grupos isolados com interesses teoricamente iguais porém obviamente objetivos diferentes. Na minha humilde opinião como ciclista amador e cidadão da cidade de Belo Horizonte morando próximo a Lagoa e tendo este como um quintal de treinamento é nos unirmos! Para um união perfeita temos que flexibilizar as ideias a ponto de atender a demanda de todos. Reúnam as partes e alinhem um discurso só e vão para cima com força total para ganharmos essa guerra. Garanto a vocês se for atendida apenas uma das parte todos nós perdemos como pessoa/cidadão/atleta. Desejo a vocês muita sabedoria agirem para o bem de todos.



Observação: Não postei nenhum comentário de posição contrária, para maiores responsabilidades. 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Reunião com o Secretário de Esporte e Lazer do Município de Belo Horizonte Sr. Bruno Miranda Assunto Ciclofaixa na Lagoa da Pampulha

Hoje de última hora estivemos presentes em reunião com o Secretário de Esporte e Lazer do Município de Belo Horizonte Sr. Bruno Miranda, presença também do Vice presidente da Federação Mineira de Ciclismo Sr. Ricardo Alcici e representantes da BHtrans. A idéia foi apresentar sugestões vinda da BHtrans para um consenso das idéias sobre as obras da ciclovia na Lagoa da Pampulha.

Sugestão da BHtrans: construir a CICLOFAIXA a partir do CLUBE BELO HORIZONTE, onde inicia a CICLOVIA da calçada e terminado frente ao PIC PAMPULHA. Porém continua a partir do PIC a ciclovia com a separação dos blocos de concreto (gelo baino) na pista como já previsto, do contrário, votaríamos no sentido contrário da pista.

Bom, com a palavra, o Vice Presidente da FMC Ricardo Alcici Inviabilizamos a ideia sugerida acima e mostramos para o Sr. Secretário e as autoridades da Bhtrans que continua inviável pelos usuários, uma vez forçando as pessoas a terem que voltar no sentido contrários. Colocamos também que naquele local o espaço ficou muito apertado para o transito normal de veículos com a distância de 2,5 metros que já esta pintado as faixas preparadas para receber os blocos de concreto.

Importante entender que estamos caminhando para um consenso comum para melhor atender os usuários que ali circulam em sentido horário e forçando não só os pelotões e colocando em risco quem tentar seguir em uma pista já estreita e pedalando no meio da rua e muito próximo da separação dos blocos de concreto.

Agradeço aqui gentileza do Srs. Presentes em especial ao Sr. Secretário Bruno Miranda pelo convite para juntos apresentarmos ideias do impasse desta questão em discussão.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

CICLOVIA na orla da Lagoa da Pampulha Reunião com o Vice Prefeito de Belo Horizonte

Foi realizada hoje na Sede da Prefeitura de Belo Horizonte reunião para discussão de adequações acerca da instalação da CICLOVIA na orla da Lagoa da Pampulha, parte integrante do projeto Pedala BH. O encontro contou com as presenças do Exmo. Sr. Vice-Prefeito, Dr. Délio Malheiros, Sr. Henrique Machado, Assessor de Gabinete, Dr. Carlos Starling, Presidente da União Ciclística Desportiva Recreativa de Minas Gerais, Sr. Demerson Furtado, Presidente da Liga Mineira de Ciclismo, Rogério Pacheco, Ultraciclista autor do projeto sobre a CICLOFAIXA da Pampulha e sugerido a BHtrans e representantes da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTRANS).
Na pauta das discussões estava a disposição de todas as partes em obter um consenso sobre a melhor maneira de assegurar na instalação da CICLOVIA a segurança de todos os usuários, tendo em vista as peculiaridades locais.
Um segundo encontro ocorrerá na Sede BHTRANS. Nesta ocasião as autoridades e a sociedade civil pretendem chegar a um ponto comum, sobre o impasse entre o modelo proposto pela BHTRANS.
Breve divulgarei data da referida reunião para que todos acompanhem detalhes da mesma.
Foto crédito para: Breno Pataro/PBH.

Rogerio Pacheco

Carta disponibilizada às autoridades Ciclofaixa na Lagoa da Pampulha

Amigos, esta é a carta disponibilizada às autoridades, imprensa e agora compartilhando com todos vocês sobre a idéia do meu/nosso projeto da ciclofaixa na Lagoa da Pampulha e sugerido à BHtrans. Se dizem ai que a idéia do projeto favorece uma classe de ciclistas, é unânime as opiniões a favor por quem usa aquele espaço que minha idéia é sempre pensando nas pessoas como um todo. Acredito que aos domingos e nos feriados com auxílio dos CONES junto as faixas bem sinalizada, placas e propaganda direta e indireta vai mudar um percentual significado de acidentes envolvendo veículos e ciclistas e até mesmo com os próprios ciclistas na atual ciclovia/passeio naquele local. Durante a semana teremos a segurança de um espaço demarcado e sinalizado, onde, esteremos conscientizado a comunidade em geral que ali é um espaço determinado, e todos possam compartilhar o mesmo espaço para o bem comum de cada um que pedala na tão falada Lagoa da Pampulha.